terça-feira, 3 de novembro de 2015

"PELO NATAL" - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"

 
 
 
Trabalho de técnica mista (Malay/2008)
 
 
 
Confortaste a minha alma muito triste,
com lágrimas a querer sulcar meu rosto,
pelo sofrimento a mim mesmo imposto,
sem lembrar-me de ti, que em ti existe.
 
Um coração de amor que 'inda persiste
no silêncio, sofrendo seu desgosto,
deste mal que por mim lhe fora posto,
triste mal, que de dor em si consiste.
 
Assim se peca, assim se é pecador!
E quem perdoa os pecados meus,
que perdoa assumindo a minha dor,
 
que esquece os sofrimentos que são os seus,
tem do que eu, p'ra dar, muito mais amor
e mais do que eu, estará perto de Deus! 
 
(Poema de Zé Ninguém)
 
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário