domingo, 2 de agosto de 2015

"MENINA GAZELA" - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"





 

Técnica mista  (Malay - Novº 2008)
 
 
 

Que lindo ver correr em liberdade,
na ânsia de chegar sempre primeiro,
de pular até um monte cimeiro,
ver do sol a primeira claridade!

Deve ser também isso a felicidade,
lá de cima abarcar o mundo inteiro,
ver rosas amarelas, num canteiro
a teus pés, perfumado de saudade!

Tão frágil, tão nervosa, tu já viste?
... saltitando, correndo com cautela,
numa alegria que também existe,

talvez não só em ti, mas também nela,
lembrando a Natureza que persiste
a tua graça, igual à da gazela.



(Poema de "Zé Ninguém" - Pai, Avô e Homem dedicado)
 
 
 
 

"SONHANDO DE MANSINHO" - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"


 




Técnica mista  (Malay - Novº 2008)


Tal como um passarinho mal ferido,
um dia te vi triste e assustada.
Parecendo muito embora que nada,
o coração te tivesse atingido!

Um passarinho tão lindo caído,
Antes de ter rompido a madrugada!
O peito em batida apressada,
sem um ai, um lamento ou um gemido!

Segurei-o e lhe dei todo o calor,
do meu coração cheio de carinho,
até lhe adormecer toda a sua dor.

Adormeceu e dorme no meu ninho,
feito de muitas mágoas de amor,
enquanto vou sonhando de mansinho!


(Poema de Zé Ninguém)
 
 
 
 
 

sábado, 1 de agosto de 2015

"O NOSSO PAI NOSSO..." - "PÁGINAS SOLTAS" - Poema de "ZÉ NINGUÉM"





 Técnica mista  (Malay - Novº 2008)


SENHOR, há tantas vidas que te peço
coisas que já nem posso recordar.
Tanto recebi, sem nada Te dar.
Sempre mais muito mais do que mereço!


Mas há coisas SENHOR, que não esqueço:
__ De quando eu já perdido a naufragar,
mandavas sempre alguém p'ra me salvar!
__ Só agora, SENHOR, eu te agradeço!...

Já não peço qualquer banalidade.
Peço coisas que tenham outro valor,
para que eu parta um dia sem saudade,

Que me ensines, que aprenda eu, SENHOR,
a encher de carinho e felicidade,
os corações sem amor!...


(Poema de "Zé Ninguém" )