quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

"A ROSA E O LÍRIO" de Almeida Garrett - OBRIGADA PELO MEU LÍRIO...



(22/2/17)


Flores - uma presença amiga sempre que há algo que festejar ou algo para dar coragem de enfrentar... Normalmente, são rosas... hoje, foi um lírio. Lírio - flor de quem dá por amor. Obrigada pelo meu lírio... e pelos outros lírios que me têm sido dados e não se vêem, apenas se sentem... São também eles a coragem de que precisamos agora.



"A rosa
é formosa:
bem sei.
Porque lhe chamam – flor
d´amor,
não sei.

A flor,
bem de amor
é o lírio;
tem mel no aroma – dor
na cor
o lírio.

Se o cheiro
é fagueiro
na rosa,
se é de beleza – mor
primor
a rosa.

No lírio
o martírio
que é meu
pintado vejo: - cor
e ardor
é o meu.

A rosa
é formosa,
bem sei...
E será de outros flor
d´amor...
não sei..."



(Poema de Almeida Garrett)







DIÁRIO DA VIDA DE UM CÃO - CORRELAÇÃO DE IDADES ENTRE CÃES E HUMANOS






Tenho cinco meses de idade... A minha dona quis informar-se de qual seria a minha idade relativa quando comparada com a dos seres humanos... Verificou que há factores de conversão específicos. No entanto, existem pequenas variações nas tabelas que definem a correlação de idades entre os cães e humanos. Para além dessa relação variar com o tamanho, varia também com a raça do cão. Assim, encontrou esta tabela que dá uma ideia geral. Concluindo... já não sou bebé mas sou um rapazinho.


CÃES
HUMANOS

CÃES
HUMANOS
2 meses14 meses8 anos48 anos
6 meses5 anos9 anos52 anos
8 meses9 anos10 anos56 anos
12 meses14 anos11 anos60 anos
18 meses20 anos12 anos64 anos
2 anos24 anos13 anos68 anos
3 anos28 anos14 anos72 anos
4 anos32 anos15 anos76 anos
5 anos36 anos16 anos80 anos
6 anos40 anos17 anos84 anos
7 anos44 anos18 anos88 anos





segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

CARTA DE OLÍVIA PARA EUGÉNIO - "Olhai os Lírios do Campo" de Erico Veríssimo







Emprestaram-me há anos, muitos anos, o livro "Olhai os Lírios do Campo". Um dos textos, daquele livro do qual já não me lembro do enredo, tocou-me particularmente. Ficaram-me estas palavras da carta de Olívia para Eugénio. Passei-as para uma folhinha de papel que me acompanhou por muito tempo. Li-o por várias vezes. Pensei que o devia pôr em prática outras tantas. Julguei tê-lo perdido. Mas com a NET, tudo é possível e, assim, encontrei de novo o texto que tanto me marcou...

A intenção das palavras comove. A intenção das palavras contagia-nos... Mas pôr em prática é mais difícil. Esquecemo-nos muitas vezes e voltamo-nos para nós próprios. No entanto, sempre nos dá um alento para pensar nisso e, quem sabe, nos possamos tornar um pouquinho melhor...



"O dia mais importante da minha vida foi aquele em que, recordando todos os meus erros, achei que já chegara a hora de procurar uma nova maneira de ser útil ao próximo, de dar novo rumo às minhas relações humanas.

Que era que eu tinha feito senão satisfazer os meus desejos, o meu egoísmo? Podia ser considerada uma criatura boa apenas porque não matava, porque não roubava, porque não agredia? A bondade não deve ser uma virtude passiva.

No dia em que achei Deus, encontrei a paz e ao mesmo tempo percebi que de certa maneira não haveria mais paz para mim. Descobri que a paz interior só se conquista com o sacrifício da paz exterior. Era preciso fazer alguma coisa pelos outros.

O mundo está cheio de sofrimento, de gritos de socorro. Que tinha eu feito até então para diminuir esses sofrimentos, para atender a esses apelos? Eu via a meu redor pessoas aflitas que para se salvarem esperavam apenas uma mão que as apoiasse, nada mais que isso. E Deus me dera duas mãos! Pensei em tudo isso numa noite de insónia. Quando o dia nasceu senti que tinha nascido de novo com ele."




sábado, 18 de fevereiro de 2017

UMA FORMA DE NOS LIVRARMOS DAS NOSSAS PREOCUPAÇÕES





Os anos vão passando, as experiências, os sucessos e os fracassos vão-se sucedendo... Quando algo acaba há que começar de novo. E "o fim,  às vezes, é só mais um bom motivo para a gente começar de novo."  



Nem sempre começar de novo é possível ou simples, mas, "qualquer um pode fazer um novo fim". E esse vai depender também do nosso estado de espírito, que também a nós compete controlar... Por vezes, somos mais fortes do que julgamos. Sem dúvida, as circunstâncias, só por si, não nos tornam felizes ou infelizes. Mas é a maneira como reagimos perante as circunstâncias que determina os nossos sentimentos. Porque "é através do cérebro que vemos, já que é nele que também vivemos, quer saibamos disso quer não".

Há momentos da vida em que nos encontramos perante mais uma encruzilha, mais uma partida do destino. Mas, "se tem que ser, será". Por isso, procuremos suportar com ânimo o que precisa de ser feito... Pois "devemos colaborar com o inevitável".

E, assim, uma forma de nos conseguirmos livrar das nossas preocupações seria lebrarmo-nos desta pequena prece escrita por D. Reinhold Niebuhr em apenas vinte e sete palavras:


                     "Deus concede-me a serenidade
                Para aceitar as coisas que não posso alterar;
                A coragem para alterar as coisas que posso;
                E a sabedoria para conhecer a diferença." 




(Texto inspirado nas palavras transmitidas por esse grande comunicador que foi Dale Carnegie e que em tantas ocasiões me têm servido como um archote aceso em noites mais negras que sempre podem assolar o nosso espírito e as nossas vidas)

(Imagem tirada da NET)






quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

DIA DOS NAMORADOS - "ENJOY THE LITTLE THINGS..."






Dia dos namorados... Ida ao centro comercial. Os corações palpitam por todo o lado. Aparecem nas montras, nos chocolates, nas flores. Por todo o lado a atmosfera é a de chamada pelo Cupido, esse pequeno deus que dispara as suas setas em todas as direcções atingindo gente de todas idades.  Poderá ser "marketing" ou um comércio, sem dúvida... mas a verdade é que, hoje, Dia de S. Valentim, para algumas pessoas o coração bate mais rápido, ainda que seja por se estar numa fila que não é tão habitual assim.

Rápidas e atenciosas, as floristas vendem os seus ramos mais ou menos elaborados. A azáfama é grande. Hoje, sou a única mulher no meio de flores, laços, corações e homens que esperam a sua vez de serem atendidos  e que, mais ou menos desenvencilhadamente, fazem os seus pedidos. Um ramo simples, um ramo a transbordar de rosas vermelhas, um ramo só com... Engravatados ou de ténis, lá seguem caminho levando os seus ramos que ostentam com orgulho ou que carregam tímida e/ou disfarçadamente para oferecer à eleita do seu coração.  

Por aqui e por ali, vi passarem parzinhos de todas as idades em que ela carrega a sua flor ou o seu ramo, lembrando-me que hoje se celebra o Amor. Só que, hoje, o meu ramo é diferente dos outros. O seu destino é outro. A forma de amar é outra. O ramo tem só uma rosa e é para a minha mãe que está doente. As montras estão apetitosas. A tentação é grande. Tinha uma prenda para comprar para quem fez anos e, (já agora, porque não), uma para o sempre namorado, o meu companheiro de vida, a minha cara metade. É só gastar dinheiro, há quem diga... Talvez seja. Mas a sensação é de conforto e de esperança no Amor pelo outro, seja esse amor, mais ou menos passageiro, mais ou menos profundo. Foi o que senti no ar, no dia de hoje, Dia dos Namorados. O Amor bailava no rosto de todos aqueles homens e mulheres felizes por celebrarem o seu dia. É contagioso e deixamo-nos embalar...

"Life is good, enjoy the little things"


E aqueles dois coraçõezinhos presos por um botão -  "Life is good, enjoy the little things"?!... Não resisti a trazê-los para os oferecer no Dia dos Namorados para celebrar o Amor todos os dias do ano... Pois, quando por palavras e actos nos fazem sentir isto... vale a pena lutar e enfrentar o que se tiver pela frente!... É isso, contemos as bênçãos que recebemos e não os dissabores... Saboreemos as pequenas coisas, porque, por muitos que sejam os obstáculos, a vida é boa para a maioria de nós.






segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

PAZ INTERIOR... UMA VISÃO DE ESPERANÇA!...





"Há sempre algo para nos tirar a paz...
mas há sempre Deus para nos devolvê-la."
HOJE, tenho que acreditar!


E fazer com este poema que uma vez mais transcrevo seja uma realidade:

"SAUDAÇÃO À ALVORADA"
POEMA DE KALIDASA:



Cuida deste dia!
Ele é a vida, a própria essência da vida,
Em seu breve curso
Estão todas as verdades e realidades da tua existência:

      A bênção do crescimento
      A glória da acção,
      O esplendor da realização.

Pois o dia de ontem não é senão um sonho
E o amanhã somente uma visão.
Mas o dia de hoje bem vivido transforma os dias de ontem num sonho de ventura.
E os dias de amanhã numa visão de esperança.
Cuida bem, pois, do dia de HOJE!
Eis a saudação à alvorada.




(Fotografia retirada da NET)





sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

CANCRO DA MAMA - PORQUE FALAR DISSO?




Jardim do Centro Champalimaud



Como em tudo na vida, se falarmos sobre o que nos aflige sentimo-nos menos sós e encontramos respostas e ajuda para tornar problemas grandes em coisas menos más. Hoje, falar sobre cancro não é tabu, é uma necessidade e o exemplo e experiência de outros torna-nos mais fortes e menos receosos em relação ao que se desconhece e receia.

A investigação sobre o cancro tem evoluído de tal forma que quando nos dirigimos a um centro de confiança, essa confiança passa para nós através dos médicos e dos profissionais que lutam para combater esta doença que hoje começa a não ser tão letal mas continua a ser tão frequente. Bate à nossa porta. Bateu à da minha família, de amigos, e tanta gente conhecida... Espreita-me também a mim.

Porquê falar disto? Porque, primeiro de tudo, está a prevenção. As campanhas multiplicam-se, investe-se na investigação e nos meios de diagnóstico... Mas, quando falei sobre o que me está a acontecer, uma amiga respondeu-me: " __Também acho que tenho que ir ao médico já não faço nada há alguns anos. Acho que agora tenho mesmo que ir. Não posso deixar passar. Tem mesmo que ser"...




"__ Acho que não preciso, faço a palpação e não sinto nada..."; "__ ... tenho a impressão de que, quantos mais exames, maior é o risco de contrair o cancro..."; "__ ... não gosto nada das mamografias..." ;  Ouvi dizer isto e não foi por parte de desconhecidos.

Pois é... Mas apesar do cuidado, fui surpreendida por uma lesão que terá de ser tratada... Aparentemente, não tenho nada; não palpo nada; mas a verdade é que ela está lá e tem que ser controlada. A predisposição genética ditou um cuidado mais acentuado... e, graças aos exames, ela foi descoberta.

Agora há que a tratar e evitar que evolua para pior. Daí a cirurgia e a radioterapia. Também aqui a partilha com quem já passou por estas lides me tem ajudado. E ainda vou no princípio daquilo por que terei de passar.

Fiquei a saber que os exames de diagnóstico como a ressonância magnética mamária e a biópsia não são tão raros assim. É significativo, o facto de algumas pessoas do meu pequeno círculo de relações terem que ter passado por isso.  O que me ajudou a ultrapassar essa fase na esperança de que comigo não viesse a ser nada de maior. Porém, a expectativa foi gorada.

Mas, ainda assim, apesar dos resultados pouco satisfatórios dos exames e em vista da necessidade de operar, também tive o incentivo positivo de quem já passou por uma cirurgia... Sei que não será muito fácil mas "o espírito optimista poderá ajudar". "Será mesmo essencial" __ afiançam-me.

Quanto à radioterapia, também por quem a teve que fazer, o incentivo foi positivo. Não é um processo tão invasivo assim. E, os resultados foram bons, conseguindo ultrapassar os problemas, ao recuperar e fazer uma vida normal por muitos anos.

No meu caso, espero ardentemente que não seja necessário mais do que a radioterapia para tratamento da zona afectada. Mas, a única certeza com que fico, é a de que temos que prevenir... por isso, porque não falar sobre esta doença que nos pode ameaçar com mais frequência e imprevisibilidade do que possivelmente pensamos?!... 



quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

CANCRO DA MAMA - "PREVENIR É MELHOR DO QUE TRATAR"



Jardim da Fundação Champalimaud



Aparentemente não tinha nada para além do já habitual e detectável através das ecografias normais. Era mais uma consulta de rotina e os exames habituais. Só que alguma coisa não estava bem... Havia que fazer uma ressonância magnética e uma biópsia. O  tempo passou. A resposta veio. Não era a desejada. Mas "prevenir é melhor do que tratar". Espero que tenha sido a tempo. O diagnóstico está feito. Não há como fugir. Agora há que viver um dia de cada vez. Uma situação de cancro da mama... células malignas suspeitas. Há que intervir, removê-las antes que degenerem e se disseminem pelo corpo. Retirar os gânglios sentinela... Radioterapia...

É uma situação mais vulgar do que nos possa parecer. Como diz o Dr. H. N.: "Não é um azar, mas uma sorte o poder-se detectar o mal a tempo e haver meios com que o enfrentar". Hoje, o diagnóstico e a sua localização é muito fiável e a cura é possível...

O que me aflige neste momento é o pós-operatório, o tratamento e aquilo que terei de enfrentar a partir de agora. Mas já senti que a partilha daquilo que nos incomoda nos ajuda a ultrapassar os nossos medos. Outras mulheres passaram por isto e o seu testemunho sempre me traz algum consolo e coragem para ir em frente...

Acima de tudo acredito que o DIAGNÓSTICO PRECOCE nos pode trazer alguma confiança. Por isso, aqui estou pronta a partilhar o que for acontecendo. Para já a tranquilidade de pensar que estou em boas mãos; depois que o diagnóstico estará correcto e terá sido feito ATEMPADAMENTE e ainda a consciência de que eu fiz tudo o que poderia ter sido feito ao submeter-me aos EXAMES DE ROTINA E PREVENÇÃO no seu devido tempo. É isso... não se pode descurar!

Sei que não vai ser fácil... mas há que não ter medo e... enfrentar!... Como me disse quem já passou por isto, "manter sempre pensamento positivo"...