terça-feira, 24 de junho de 2014

MAÇÃ





("Maçã vermelha" - Desenho a aguarela e pastel de óleo)
(Malay - 2014)


"Se você tiver uma maçã e eu tiver outra e nós trocarmos as maçãs, então cada um terá a sua maçã. Mas se você tiver uma ideia e eu tiver outra e as trocarmos; então cada um terá duas ideias."


George Bernard Shaw




segunda-feira, 23 de junho de 2014

OLHAR...










(Desenhos a lápis de cor inspirados em fotos do Pinterest - Malay 2014)



Azul  como  a safira ou a água-marinha...
Negro como o ônix...
Verde como a esmeralda...
Castanho como o olho de tigre...
Não importa a sua cor...
O que revela a tristeza ou a alegria de um olhar 
é a pureza no seu brilhar!






sábado, 21 de junho de 2014

LÍRIO ROXO




(Aguarela inspirada em pintura retiradad do Pinterest - Malay 2014)


Vi sozinho
Num canteiro
Um lírio roxo...
Ai! a luz e o perfume da manhã!
E o meu rosto acabado de lavar!
E lá ficou,
Sozinho,
Num canteiro,
O meu lírio roxo,
Branco e transparente de alegria!


(Poema de Matilde Rosa Araújo)



sexta-feira, 20 de junho de 2014

TRANQUILIDADE EM MOVIMENTO





 "...era forte demais"... Houve quem dissesse que dava arrepios. No entanto, é um quadro de paz. O vermelho é sangue, o verde esperança __ as cores da nossa bandeira. O branco é a paz, luz, libertação.

A rosa branca transforma-se numa pomba que se solta da mão de quem a cuidava mas prendia e que, por isso, ganhou o seu reflexo... É isso, traz tranquilidade em movimento!





NUM BAIRRO DE LATA




"Dignidade"


Bairro de lata... passagens estreitas e pobres, ladeiras íngremes e ricas em desorganização, o chão enlameado... Uma porta entreaberta que deixa ver aquela toalha de plástico aos quadrados cuidadosamente limpa e no seu centro uma flor numa pequena jarra. Lá fora ficam o turbilhão de uma vida difícil e crua.

Flor, luz, dignidade no meio de tanta pobreza... O bairro já não existe mas será que as flores se multiplicaram?!! 



OLHA E VÊ O AMANHECER...




(Malay - 2014)


O amanhecer levanta a cortina dos teus olhos... Olha e vê como é lindo o alvorecer do dia!... A vida é uma criança que passa correndo. É preciso ver enquanto há tempo, pois não existe dor sem alento nem tristeza tão longe assim.

(Adaptado de pensamento de Ivone Boechat)



"Girassóis" - OS TRINTA ANOS DA ESCOLA





"Girassóis - 30 anos da Escola de S. A."
(Inspirado num dos muitos quadros de girassóis pintados por Van Gohg)


A Escola fez 30 anos. Diz-se que os girassóis são a flor da amizade. A Escola deve ser berço de amizades que perdurem no tempo ou que se se perderem no espaço e no tempo deixem o agrado da sua lembrança...

Uma escola deveria ser como uma jarra de girassóis que quanto mais diferentes mas iguais mais bonita se torna. Há os que são exuberantes, saem em todos os sentidos, brilham. Há os mais moderados que continuam a brilhar mas se alinham no conjunto. Há ainda os que, já mais velhos e experientes, se mantém mais na sombra, constituindo a coluna dorsal e com um coração que já não é tão vermelho escarlate e gritante mas verde cor de esperança. Finalmente, ficam aqueles que se deixam murchar, se deixam cair __ mas que haja sempre forma de tentar levantar a auto-estima e valorizar as qualidades de quem faz parte do "bouquet" mas se deixou esmorecer.

Que a Escola de S. A. continue a ser uma jarra de girassóis luminosos como o próprio Sol capazes de formar um todo harmonioso.




"LÁGRIMA DE ROSA"





"Lágrima de Rosa"


Ofereci este quadro à secretaria da minha escola no ano em que partia para sempre. Porquê? Por gratidão a um grupo de pessoas sempre disponível e amigo de entre o qual uma se chamava Rosa (nome de uma das minhas bisavós). Aquele quadro não tinha destino definido. Calhou em conversa e eu fiz a promessa que assim cumpri.

Hoje não sei onde está. Mas espero que continue a acompanhar um grupo de pessoas igualmente disponível, atencioso e bem disposto apesar das partidas que a vida possa ir pregando.

Há lágrimas de dor, lágrimas de alegria e de saudade. Nem sempre podemos evitar as lágrimas de dor, mas resta-nos a esperança de que, quando ficam as de saudade é porque a vida valeu a pena. 

Hoje, não choro de saudade mas lembro com agrado o carinho com que aquelas pessoas animavam quem por lá passava com uma compreensão digna de nota. E desejo que, apesar das preocupações e arrelias que sempre existem, também possa haver motivos para rir de boa disposição até às lágrimas...



quarta-feira, 11 de junho de 2014

DESENHANDO












Olhos, naturezas mortas, traços aparentemente mais simples que vou tentando reproduzir ou adaptar... A procura dos modelos está-me, hoje, muito mais facilitada dada a profusão de imagens que vão aparecendo no Pinterest. Com música de fundo os desenhos vão-me dando o prazer de verdadeiros duelos com o papel, enquanto esgrimo lápis, carvão, borracha e esfuminho...




domingo, 8 de junho de 2014

OLHAR




(Malay - 7/6/14)


"Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direcção"

(Antoine de Saint-Exupéry)





sexta-feira, 6 de junho de 2014

PASSSADAS...






De pequenas passadas vou seguindo esta caminhada... É um novo alento que retorna através do lápis e papel...

Perguntam-me: __"Para que serve?!..." É o vencer de pequenos desafios que dão mais um sentido ao desenrolar de cada dia. 






Desenhos a lápis de grafite HB, inspirado no Pinterest
 (Malay, 2014)

terça-feira, 3 de junho de 2014

HOJE, O DESAFIO FOI A COR... REDESCOBERTA DOS NEOCOLOR II




Ilustração de Pavel Guzenko


Hoje, resolvi introduzir a cor nos meus olhos desenhados. Uma vez mais me apareceu no Pinterest esta imagem de um olho pintado por Pavel Guzenko que me encantou desde o início. Lápis de cor?!... Não. Não é lápis de cor. Deve ser aguarela. Fui desencantar a caixa de lápis Neocolor II que podem funcionar também como aguarelas. Sinceramente... há tanto tempo que não os usava que foi por tentativas... E aqui está o resultado final:


(Malay - 3/6/14)

Fiquei contente... Já não lhe mexo mais. Com a ajuda de dois pincéis humedecidos com água e o reforço aqui e ali de lápis de cor normais fui tentando dar os reflexos que me encantaram no original. É uma pálida semelhança. Mas adorei fazer este trabalho. Ainda que mais não fosse pela redescoberta dos Neocolor II há tanto esquecidos.




segunda-feira, 2 de junho de 2014

JOHN WHALLEY - MAIS UMA TENTATIVA...





"Corrente com Gancho" - Pintura hiper-realista a óleo sobre tela de John Whalley







Diferentes etapas da pintura da corrente e do gancho... 

Utilizar a espátula para fazer o fundo não foi muito fácil, o movimento do pulso tem que ser rápido e delicado, tem que rodar nos vários sentidos e direcções sem arrastar demasiado a tinta, depositando as manchas e traços de cor. A sua finalização com o pincel já foi mais fácil. Sempre carga de tinta no pincel e movimentos em sentidos contrários e ágeis deixando as manchas e os riscos, muitas vezes, atenuados depois com a ponta dos dedos. 

Carga na ponta do pincel, depositar da tinta sobre a tela, sobre o que já estava pintado... Tinta sobre tinta. Esbater o que está em excesso... "Luz" com o branco e um "xoxozinho" de amarelo, com os vermelhos, os azuis ou os verdes... Uma mancha de "ferrugem", uma falha na cor. A sombra ou a luz que pode não estar coerente mas faz ressaltar o trabalho...

Não, não está hiper-realista... Não dá mais. Mas gosto da mancha da cor que fica aqui e ali, do ratado, do realce de tons que vão aparecendo mesmo que incoerentes. Veremos como fica no resultado final.




(Resultado final - 6/6/14)

"MAÇÃ SOBRE LATA" - INSPIRAÇÃO NUM DOS TRABALHOS DE JOHN WHALLEY




"Maçã sobre Lata" - Pintura a óleo sobre tela original de John Whalley


Foi paixão à primeira vista. Tal como todos os trabalho de John Whalley, também este me atrai pelo realismo e a simplicidade do tema... A ferrugem foi o que não faltou... Tentei fazer uma adaptação deste quadro para o oferecer a quem mo pediu, mas as circunstâncias fizeram com que tivesse que esperar... E esperou-se. Agora, foi o recomeço. Voltar a pegar no pincel e continuar uma lata enferrujada e o amadurecimento de uma maçã... Qualquer semelhança não é coincidência é o que é possível mesmo com orientação e a vontade de lhe emprestar um cunho próprio.

      

 


Com a ajuda da mão de quem sabe e a paciência de quem tem arte, foi-me possível ir dando as formas, os tons, o fundo a uma lata que não se pretende igual (nem tal seria viável) mas traduz de uma forma mais impressionista um pouco da beleza pelo simples e real de mais um dos trabalhos hiperrealistas de John Whalley.











Novo ponto de partida...



domingo, 1 de junho de 2014

RECOMEÇO DE UM PRAZER - DESENHAR...





(Maio de 2014)

Fazer o esboço quase que "dói"... é o equilíbrio das formas que nos foge, a incerteza das dimensões relativas... os posicionamentos...

Mas depois vem o preencher dos espaços, o dar os volumes e a expressão, o tentar corrigir as assimetrias... gozo que só tem igual no prazer do ouvir a música que nos acompanha no doce depositar da grafite ou do carvão, no traço interrompido ou deslizante determinado e forte... No volume dado com a subtileza do esbater com o dedo ou o esfuminho... No traço, no ponto ou na mancha que se reforça ou que marca a luz ou a sombra o que faz "saltar" a forma.

Rapaz ou rapariga?! Tudo fica em aberto até que se define e sai do branco do papel agora manchado de cinza e que nos olha um pouco ausente em pensamentos que nos escapam também eles para além de nós...