sexta-feira, 28 de abril de 2017

CANCRO DA MAMA - PRIMEIRA SESSÃO DE QUIMIOTERAPIA e o "ICE CAP"




(Fundação Champalimaud - Abril / 2017)


Salvo alguns percalços de coordenação, decorreu tranquilamente. O ambiente muito simpático, o facto de se ter acompanhante e o bom atendimento, tornaram tudo mais simples.




A medicação é administrada por via endovenosa através do soro. Para isso, está-se sentado num cadeirão, onde o soro com os fármacos adequados vai entrando lentamente na veia através do cateter. É um processo lento __ duas horas e meia de tratamento. Mas, no meu caso, foram quatro horas ali sentada por causa do "ice cap" (capacete gelado) o que acrescentou 30 minutos antes da medicação e uma hora depois da mesma já sem o soro.


(Aparelhagem com uma das toucas do "ice cap" - dá para dois pacientes em simultâneo)


O  uso do "ice cap" é uma tentativa para atrasar ou evitar a queda de cabelo caso este venha a ter tendência a cair devido à administração da quimioterapia. No fundo, é um mecanismo que faz gelar o interior de uma touca que, no meu caso, foi aplicada durante quatro horas, ou seja, nos 30 minutos anteriores ao tratamento, nas duas horas e meia da fase de tratamento e na hora seguinte.


(O "ice cap" é um mecanismo aparentemente simples)


Como atua?! A temperatura baixa faz com que os vasos sanguíneos se contraiam. Com espaços mais estreitos, a quantidade de medicação que chega até à raiz do cabelo é menor. Assim, o seu efeito também é menor.

O tratamento é indicado para vários tipos de cancro. A touca pode ser utilizada tanto por homens quanto por mulheres. Não é só para o cancro de mama, mas para outros tipos de tumor. Só se evita usar em pacientes que têm, por exemplo, linfoma, leucemia, que são cancros da corrente sanguínea, de acordo com a explicação do oncologista Marcelo Cruz.

A pergunta agora é __ será que realmente fica resolvido o meu problema da queda do cabelo? O futuro o dirá... Nos próximos tratamentos se verá.





Sem comentários:

Enviar um comentário