terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

"EU SEI TANTO..."






Numa manhã de sol, faz alguns anos, a casa estava a arejar. As janelas de grandes portadas estavam abertas. A mãe atarefada fazia as camas do quarto que dá para um pequeno balcão de onde se vislumbra a pequena eira onde se seca o milho.
Entretanto, um dos filhos, então pequenito, espreitava da varanda. Até que, a certa altura, pergunta à mãe que continuava dentro do quarto a fazer as camas:
__ "Mãe, ali é uma galinha. Não é, Mãe?!"; e a mãe respondeu, continuando a esticar os lençóis: __"É, filho."
Passado um momento, volta a perguntar: __"Mãe... E ali é outra galinha, não é, Mãe?!" De novo a resposta foi afirmativa.
Um pouco depois, uma nova pergunta: __"Mãe... e ali é um galo, não é Mãe?!..." Nova resposta positiva, entre o alisar da dobra do lençol.
Fez-se silêncio. Passados uns instante, o pequenito volta para dentro do quarto e, com o peito cheio de orgulho, diz: __"Eu sei tanto..."

É tão bom quando, com tanta felicidade, sabemos tanto. E, sobretudo, temos quem apoie a nossa sapiência!

À medida que vamos crescendo, vamos sabendo cada vez menos, mas era tão bom que continuássemos a estar orgulhosos dos nossos saberes. Pelo menos isso significa que alguma coisa ficou das nossas aprendizagens, nem que fosse com a nossa mãe a fazer a cama e a responder: __"Sim,meu filho", pelo simples facto de gostar de nós.




Sem comentários:

Enviar um comentário